Atividades

Presentemente a atividade da APREDIN – REDE DINÂMICA XXI centra-se nas seguintes áreas:

 

  • Organização de conferências e eventos sobre empreendedorismo, internacionalização e prospetiva territorial;
  • Participação em projetos de cooperação interterritorial da UE para atividades de inovação, empreendedorismo e internacionalização;
  • Iniciativas de cooperação entre a UE e os países de expressão latina.

Em termos históricos, a atividade da REDE DINÂMICA XXI assumiu diferentes concretizações, ao longo dos anos :

 

  1. Polos Regionais de Inovação e Competitividade (PRICs)

Trataram-se de projetos que visavam mobilizar as empresas, as autoridades locais e outras instituições de determinadas regiões mais expostas à concorrência internacional, para um esforço conjunto de luta pelo aumento da competitividade e contra o desemprego e a desertificação. No início de 2009, e atendendo às dificuldades de financiamento encontradas no QREN, este projeto passou a ser desenvolvido no âmbito de 3 projetos de cooperação internacional que se candidataram ao Programa INTERREG.

 

  1. Cursos de Empreendedorismo e Inovação

Trataram-se de cursos de formação-ação especialmente destinados aos novos empreendedores que têm a intenção de criar, a curto prazo, uma microempresa inovadora.

 

  1. Centros CREARE

Trataram-se de centros de assistência técnica às microempresas e PMEs de determinada região, normalmente lançados na sequência de um primeiro Curso de Empreendedorismo e Inovação. O seu objetivo principal é prolongar o apoio técnico às empresas emergentes desse curso, durante os primeiros tempos da sua atividade. Numa segunda fase, os Centros CREARE procurarão prestar apoio técnico também a outras microempresas e PMEs da região.

 

  1. Fóruns da Rede Dinâmica XXI

Trataram-se de reuniões regulares entre os associados da Rede e todas as entidades que com ela colaboram nos diversos projetos em curso, as quais se destinam a debater os problemas da competitividade da economia portuguesa e as iniciativas inovadoras que a Rede pode lançar para lhes fazer frente.

 

  1. Candidaturas e coordenação técnica de projetos europeus

Esta atividade centrou-se mais, no passado, em candidaturas a programas inseridos no INTERREG, particularmente no programa MED. Os principais casos de sucesso foram:

  • MEDDOC Technopolis – 2007-2010

financiado pelo programa INTERREG MED, com participação de parceiros portugueses (C.M. Lagos, C.M. Tavira), espanhóis (Parque Tecnológico da Andalucía) e italianos (Sviluppumbria – Società Regionale per la Promozione dello Svillupo Economico dell’Umbria,s.p.a e PSTS – Parco Scientifico e Tecnologico della Sicilia). Objetivos: “le lancement d’une nouvelle génération de technopôles – les « technopolis » – dans les vastes régions de la Méditerranée Occidentale. »

  • MED TECHNOPOLIS – 2011-2013

financiado pelo programa INTERREG MED em que a Rede Dinâmica XXI assegurou a coordenação técnica,  com participação de parceiros portugueses (C.M. Faro, ANJE/Algarve, CRIA/U. Algarve), espanhóis (Parque Tecnológico da Andalucía), franceses (Toulon Var Technologies (BIC TVT) e CNAM – conservatoire national des arts et métiers), italianos (Sviluppumbria – Regional Society for the Promotion of Economic Development of Umbria e Science and Technology Park of Sicilia) e gregos (Computer Technology Institute & Press “Diophantus”). Objetivos: “- the creation of technology interface structures (TISs) belonging to the “technopolis” generation, in all the participant regions; – the completion of a cycle of Action-Training Programs (ATPs) and six Regional Action Plans (RAPs), based on INNOV/COMP and R&AT partnerships among the actors of these regions”.

  • 4helix+ – 2018-2020

Projeto em fase de arranque

 

  1. EGGPEL

Boa parte do ano 2011 foi dedicada ao desenvolvimento do projeto de realização da primeira edição dos Estados Gerais de Gestão nos Países de Expressão Latina (EGGPEL).

 

A associação assumiu naturalmente um papel de liderança neste processo, dado que o conceito foi imaginado, desenvolvido e proposto aos restantes parceiros pelo falecido Dr. Júlio Dias, então presidente da direção.

 

A organização da comissão científica local e internacional, a liderança do comité organizador, a negociação dos aspetos logísticos, o lançamento dum call for papers e a organização do processo de peer reviewing foram tarefas extremamente absorventes que ocuparam os recursos da associação durante a maior parte de 2011.

 

Os resultados só apareceram em Março de 2012, no congresso realizado no Centro de Congressos do Estoril, já sem a presença do Dr. Júlio Dias, e registaram-se mais de 300 comunicações de participantes provenientes de 16 países de expressão latina.

 

  1. CEIPEL

Marcado para 3 e 4 de Julho de 2018, na Universidade Lusófona de Lisboa, o Congresso de Empreendedorismo e Inovação nos Países de Expressão Latina (CEIPEL) é a sequência natural do EGGPEL de 2012 e, funcionando em moldes idênticos, foca muito mais no campo do empreendedorismo e inovação.